domingo, 23 de julho de 2017

Lideranças dos Técnicos Agrícolas Brasileiros reuniram-se em Natal

A Associação dos Técnicos Agrícolas do Brasil (ATABRASIL) promoveu nos dias 21 e 22 de julho de 2017 no auditório do Beach Resort, em Natal-RN, um Encontro de Lideranças Sindicais e Associativistas do Brasil. O evento reuniu lideranças de 11 Estados da Federação: Bahia, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, São Paulo e Santa Catarina.

Tiago recebendo o Prêmio
            
O objetivo do encontro foi discutir temas de interesse da categoria profissional como a criação do Conselho Nacional e Regionais dos Técnicos Agrícolas, atribuições profissionais e o fortalecimento da estrutura sindical em todo o país.

            O técnico agrícola Antônio Tiago da Silva, presidente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas de Santa Catarina (SINTAGRI), recebeu o Prêmio Técnico Agrícola Potiguar durante a atividade como forma de reconhecimento da sua dedicação às causas da profissão.


            Também estiveram presentes no evento contribuindo com as discussões o farmacêutico Luiz Eduardo Gautério Gallo, ex-presidente da Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) e da União Mundial das Profissões Liberais (UMPL) e dois diretores do Sindicato dos Técnicos Industriais do Rio Grande do Norte (SINTEC-RN). 

terça-feira, 20 de junho de 2017

Audiência com o Governador de Santa Catarina

SINTAGRI E ATASC TEM AUDIÊNCIA COM O GOVERNADOR DO ESTADO.
O Movimento dos Técnicos Agrícolas Catarinense representados pelos Presidentes do SINTAGRI Antonio Tiago da Silva , Presidente em Exercício da ATASC Fabiano Floriani Garcia, representante do Conselho Fiscal da ATASC Francisco Airton Garcia e o Assessor Jurídica das entidades Silvio Walter, estiveram na manha de hoje (20 de junho de 2017) em audiência com o Governador do Estado João Raimundo Colombo, ratando das demandas dos profissionais técnicos agrícolas.


Levamos ao conhecimento do Governador nossa preocupação com o Ensino Agrícola e os atos discriminatórios praticados pelas empresas públicas para com nossa categoria profissional, quando da realização dos concursos públicos e quanto ao desenvolvimento de nossas atividades como profissionais liberais, em um flagrante desrespeito a nossas atribuições profissionais.

A audiência foi requerida pelos Deputados Altair Silva e Darci de Matos ambos Técnicos Agrícolas e defensores de nossas causas.

Extraído de: https://www.facebook.com/Sintagriatasc/?pnref=story

Juliana Brizola atualiza perfil político de Brizola 12 anos após sua morte

Francis Maia - MTE 5130 - 15:25 - 29/06/2016 - Foto: Marcelo Bertani

Para registrar os 12 anos da morte de Leonel Brizola, o Grande Expediente Especial desta terça-feira (29) foi ocupado pela deputada Juliana Brizola (PDT), que recapitulou a biografia do líder político comprometido com a democracia e as causas populares. Mas a deputada, que é neta do homenageado, fez um contraponto das quatro gestões administrativas de Brizola – na prefeitura de Porto Alegre, no governo do Rio Grande do Sul e em dois mandatos como governador do Rio de Janeiro – para evidenciar que é possível direcionar as políticas públicas para os desabrigados sociais “sem sujar as mãos”.
 
Considerado um dos maiores líderes políticos da segunda metade do século passado, Leonel Brizola faleceu em 21 de junho de 2004, aos 82 anos, no Rio de Janeiro. Dono de um estilo próprio na política, ele deixou marcas profundas como governante, resultado de ações definidas e uma capacidade singular de comunicação. Nascido pobre no interior de Carazinho, enfrentou severas dificuldades para sentar nos bancos escolares, lição pessoal que transformou em obra e legado ao construir mais de seis mil escolas quando governou o Estado, no início da década de 60, chamadas “brizoletas”, retirando os gaúchos do analfabetismo. O empenho pela educação avançou para o projeto dos Centros Integrados de Educação Pública, os Cieps, construídos no período dos dois governos no Rio de Janeiro, com investimentos que alcançaram 54% do orçamento.
 
Crianças na escola
“Brizola escolheu a forma de combater os desvios sociais pela educação”, resumiu Juliana da tribuna, que iniciou o discurso contando o ato administrativo de 1959, quando encampou as empresas norte-americanas de telefonia e energia elétrica e imprimiu sua original determinação para os fatos políticos. O feito repercutiu e o poeta chileno Pablo Neruda, Nobel de Literatura, em poema escreveu: “Celebrando a chegada de Brizola no cenário da América como uma deslumbrante encarnação de nossas esperanças”.
 
O perfil político de Brizola desde jovem teve contornos desafiadores para o conservadorismo da época, “no final dos anos 50, o Rio Grande do Sul era assentado numa economia agropastoril e gerava imensa pobreza humana”, contextualizou a deputada, evidenciando a ousadia adotada para alcançar o desenvolvimento, o que foi possível através de medidas pioneiras como a criação do BRDE, Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul, e da Caixa Econômica Estadual, o Polo Petroquímico, a CEEE, a Usina de Candiota, a CRT, Companhia Rio-grandense de Telecomunicações, construiu estradas e pontes, modernizou o transporte ferroviário, e criou o Instituto Gaúcho de Reforma Agrária, o IGRA, “distribuindo mais de 14 mil títulos a agricultores sem-terra, realizando a reforma agrária da Fazenda Sarandi, no Banhado do Colégio, Caponé, Itapoá, Taquari e Pangaré”, salientou Juliana.
 
Desafiador de uma época

A passagem pela Escola Agrícola de Viamão, a ETA, aos 14 anos, e no Colégio Júlio de Castilhos pavimentaram a formação estudantil e política do futuro secretário de Obras, prefeito da capital e governador do Estado que, aos 39 anos, liderou a Campanha da Legalidade, movimento de resistência à tentativa de golpe militar depois da renúncia do presidente Jânio Quadros, em 1961, ação que visava impedir a posse do vice-presidente, João Goulart. Brizola liderou o maior levante popular da história do Brasil com “a disposição de morrer lutando pelo cumprimento da Constituição”, afirmou ela. Eleito deputado federal com a maior votação da época, organizou o Grupo dos Onze e pregava a implantação das Reformas de Base, as reformas agrária, urbana, fiscal e a Lei de Remessa de Lucros, o combustível que incendiou os conservadores para a derrubada do governo de João Goulart, em 1964.
 
Cassado, amargou 15 anos de exílio, primeiro tentando organizar a resistência através do Uruguai e, mais tarde, construindo a alternativa democrática em Lisboa, onde reuniu os trabalhistas exilados. Voltou ao Brasil em 1979, anistiado, recuperou seus direitos políticos e editou seu novo capítulo na história republicana. Mais uma vez desafiou as elites e venceu a disputa pelo governo do Rio de Janeiro, em 1982, quebrando a hegemonia de conservadores políticos e empresariais que, ainda hoje, dominam o cenário nacional, contou Juliana Brizola.
 
Ao encerrar, disse que “de todas suas ações e sua forma republicana de gerir a coisa pública, se extrai uma lição, que é essencial nos dias atuais: é possível fazer política sem sujar as mãos”.
 
Apartes
Em aparte manifestaram-se os deputados Alexandre Postal (PMDB), Missionário Volnei (PSC), Eduardo Loureiro (PDT), Miki Breier (PSB), Pedro Ruas (PSOL), Regina Becker Fortunati (Rede), Adão Villaverde (PT), Pedro Pereira (PSDB), e Manuela d’Ávila (PCdoB).

Extraído de: http://ww1.al.rs.gov.br/julianabrizola/Imprensa/DetalhesdaNot%C3%ADcia/tabid/1767/IdMateria/305647/Default.aspx

O legado da Escola Técnica de Agricultura de Viamão

Além de sua rica história no ensino profissionalizante, a ETA ficou famosa dentro e fora do Rio Grande do Sul pelos ranchos que davam guarida a alunos de várias partes do Estado

Por: Ricardo Chaves
ricardo.chaves@zerohora.com.br
12/05/2017 


Festa no Rancho Sao Jerônimo em 1972
A Escola Técnica de Agricultura de Viamão (ETA) foi fundada em 1910 e tem uma longa história na formação de técnicos agrícolas e técnicos em pecuária, pois há 107 anos vem formando profissionais para todo o Rio Grande do Sul e para o Brasil. Além de sua rica história no ensino profissionalizante, outro fator também ajudou a tornar a ETA famosa dentro e fora do Estado: os ranchos. No seu auge, os ranchos chegaram a mais de 30, quando davam guarida a alunos de várias partes do RS. 
Os ranchos eram construídos em vários modelos, com paredes de tijolos, de barro, taquaras etc. e coberturas com telhas ou capim santa-fé, mas todos tinham uma coisa em comum: a lareira, que nos dias de inverno rigoroso protegia seus integrantes do frio, além de fornecer água quente para o chimarrão e o café. 
O pioneiro desses ranchos surgiu como um simples fogo de chão ao pé de uma velha figueira, onde os alunos da então recém-fundada escola se encontravam para estudar, contar histórias e tomar café. Com o tempo, tiveram a ideia de erguer uma pequena choupana, com paredes de barro com taquara, teto de capim santa-fé e piso de chão batido, como os rudimentares ranchos do interior do Estado, de onde muitos eram oriundos. Provavelmente, o primeiro grupo era natural do município de São Jerônimo, dando assim o nome do rancho. Essa sede foi erguida no ano de 1939 e permanece até hoje. A velha figueira foi abatida por um raio, em uma noite de tempestade, mas o local basicamente continua o mesmo. Um dos rapazes que ali embaixo da figueira mateava e contava histórias se chamava Leonel de Moura Brizola, formado em 1938, um dos idealizadores do Rancho São Jerônimo, além de um de seus componentes mais conhecidos. 
Visando manter e guardar essa rica história de tantos participantes que por ali passaram no decurso desses mais de 78 anos, os ex-componentes se reuniram, reconstruíram e agora mantêm o legado do velho rancho. Essa atitude também está ocorrendo com os integrantes dos outros ranchos, marco da tradição e pujança da ETA. 
Amanhã, a partir das 9h, ocorrerá uma grande reunião dos antigos membros do Rancho São Jerônimo e de todos aqueles que se identificam com esse passado e querem relembrar seus dias na escola e prosear ao lado da lareira do antigo rancho. 
O encontro, para o qual todos são convidados, será na ETA, no pátio do rancho. Ex-integrantes que desejam se comunicar e saber como ajudar a cadastrar seus endereços e contatos, por favor, liguem para o ex-aluno da ETA (entre 1986 e 1988) Paulo Daniel Roza da Luz, no telefone (51) 99912-6745 ou mandem mensagem para o e-mail paulodluz@gmail.com.
Extraído de: http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/almanaque-gaucho/noticia/2017/05/o-legado-daescola-tecnica-de-agricultura-de-viamao-9791221.html

sábado, 17 de junho de 2017

Lançamento de livro sobre o CECAT

O Centro de Estudantes da Escola Técnica de Agricultura de Viamão-RS (CECAT) comemorou em 2016 seu primeiro centenário, sendo o órgão de representação de estudantes de escolas agrícolas mais antigo do Brasil.

Com objetivo de registrar esta historia o técnico agrícola Edgar da Silva, dirigente histórico do Movimento Nacional dos Técnicos Agrícolas e ex-aluno da Escola Técnica de Agricultura, lançou no dia 16 de junho de 2017 o livro "Centenário do CECAT" na Biblioteca Municipal de Osório-RS.


RECONHECIMENTO: EDEGAR DA SILVA É HOMENAGEADO PELO SINTARGS
O Sindicato dos Técnicos Agrícolas do RS – SINTARGS, prestou homenagem ao Técnico Agrícola EDEGAR DA SILVA pela sua contribuição ao movimento dos técnicos agrícolas no Rio Grande do Sul e no Brasil. 

A solenidade aconteceu durante o Encontro dos Técnicos Agrícolas realizado ontem (15), na EXPOFEIRA 2017, e contou com a presença do deputado federal Alceu Moreira que lhe entregou uma placa em nome do sindicato. O presidente do SINTARGS, Luiz Roberto Dalpiaz Rech e os diretores Dirceu José Boniatti e Nelmo Luiz Vargas destacaram as virtudes do Técnico Agrícolas Edegar da Silva bem como o seu empenho pela regulamentação da profissão e a sua luta permanente pelo engrandecimento do movimento dos técnicos agrícolas. “O Edegar, além de ser uma grande figura humana, é uma das maiores expressões do nosso movimento no Brasil. Esta homenagem já vem tarde”, afirmou o presidente do SINTARGS. 

O evento foi prestigiado por autoridades, técnicos agrícolas, empresários, dirigentes da Associação por dos Ex-alunos da ETA – AETA e professores e alunos das escolas agrícolas de Viamão e Osório. 

QUEM É EDEGAR DA SILVA

Natural de Osório. Ex-aluno da ETA formado em 1971. Membro do Rancho Três de Maio da ETA. Foi presidente da Associação dos Técnicos Agrícolas do RS - ATARGS e secretário da Federação Nacional dos Técnicos Agrícolas – FENATA. Ex-dirigente do Sindicato dos Técnicos Agrícolas do RS – SINTARGS. Foi secretário e vereador aqui de Osório. No estado foi chefe de gabinete do secretário e secretário adjunto da Secretaria da Agricultura. Hoje é dirigente da Associação dos Ex-alunos da Escola Técnica de Agricultura – ETA.


sábado, 10 de junho de 2017

Reunião do Movimento Paraibano dos Técnicos Agrícolas


Associação Profissional dos Técnicos Agrícolas da Paraíba (APTA-PB) 
Sindicato dos Técnicos Agrícolas da Paraíba (SINTAG-PB)

Data: 17 de junho de 2017 - sábado
Local: Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Solânea-PB (ao lado da Matriz S. Antônio)
Horário: 14:00 horas

Pauta:


  1. Informes;
  2. Gestão da APTA-PB e SINTAG-PB;
  3. Conselho dos Técnicos - PL 5179/2016;
  4. Outros assuntos.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

Resposta à presidência do CREA-PB sobre o Seminário Meio Ambiente e Segurança Alimentar



“Eu só peço a Deus
Que a injustiça não me seja indiferente
Pois não posso dar a outra face
Se já fui machucado brutalmente”
                                       Mercedes Sosa

           
Em resposta a nota divulgada no blog do Sindicato dos Técnicos Agrícolas do Estado da Paraíba (SINTAG-PB) sobre as críticas a falta de convite para as entidades dos técnicos agrícolas participarem do Seminário sobre Meio Ambiente e Segurança Alimentar que acontece hoje, 5 de junho, na capital paraibana, a engenheira agrônoma Giucélia Figueiredo, presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (CREA-PB), fez um comentário (que reproduzimos no final de nota).

Embora respeitemos os argumentos da presidente do CREA-PB não podemos deixar de fazer algumas considerações pertinentes a falta de convite das nossas entidades para participar do evento.

            Percebe-se no cartaz que o seminário é realizado por três entidades: CREA-PB, Associação Paraibana de Engenheiros Ambientais (APEAMB) e pela Associação dos Engenheiros Agrônomos da Paraíba (AEA-PB). Nota-se ainda o apoio ao evento de mais três organizações: Caixa de Assistência dos Profissionais do CREA (MUTUA), Sindicato dos Engenheiros da Paraíba (SENGE) e Clube de Engenharia da Paraíba (CEP-PB).

            Mas não houve nenhum convite ao SINTAG-PB ou a Associação Profissional dos Técnicos Agrícolas da Paraíba (APTA-PB) para participar da realização do evento, ou apoiar a atividade, ou sequer participar da composição da mesa de abertura!

            E quando houve tempo para os técnicos agrícolas no Sistema CONFEA/CREA ?

            Ao longo de cinco décadas de convivência conflituosa dos técnicos no CREA dia após dia assistimos atos sectários como este, e por vezes a discriminação chega ao judiciário como aconteceu em 1985 e 2002 com a regulamentação da profissão de técnico agrícola e técnico industrial com os Decretos 90.922 e 4.560, ou com resoluções excludentes das instâncias do Conselho tentando limitar o pleno exercício profissional dos técnicos.

            Neste sentido reafirmamos a necessidade do Congresso Nacional aprovar o Projeto de Lei 5.194/2016 que cria o Conselho Nacional dos Técnicos Industriais e Técnicos Agrícolas (CNTIA) e os Conselhos Regionais dos Técnicos Industriais e Técnicos Agrícolas (CRTIA) para que nossas categorias profissionais possam ter vez e voz, sem nenhum tipo de discriminação.

            Com o nosso Conselho não teremos nenhum receio de convidar todas as representações da sociedade para debater temas tão caros como a soberania alimentar, pois não enxergamos o mundo com o corparativismo excludente que muitos exercitam com afinco no Sistema CONFEA/CREA.


Resposta da presidente do CREA-PB:
Colegas técnicos , esse evento é uma iniciativa da Associação dos Engenheiros ambientais , com o apoio do CREA e diversas entidades, inclusive do MP.O chamamento foi feito prioritariamente através das redes sociais . O evento é aberto às entidades e ao público em geral . Sejam bem vindos !
Giucelia Figueiredo

Disponível em: http://sintagparaiba.blogspot.com.br/2017/06/crea-pb-exclui-entidades-dos-tecnicos.html

sábado, 3 de junho de 2017

CREA-PB excluí entidades dos técnicos agrícolas de debate sobre meio ambiente e segurança alimentar



O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia da Paraíba (CREA-PB) promoverá no próximo dia 5 de junho o Seminário Meio Ambiente e Segurança Alimentar, em João Pessoa-PB.

        É estranho percerber que embora a diretoria do Conselho tenha convidado para o debate sobre um tema tão importante, entidades ligadas as engenheiros agrônomos, engenheiros ambientais, agricultores familiares, Secretaria da Agricultura, entre outros atores, sequer lembrou-se do sindicato ou da associação dos técnicos agrícolas na Paraíba.

        É lamentável que os técnicos agrícolas participem do Sistema CONFEA/CREA apenas na pagamento de taxas para manter o Conselho funcionando, e são esquecidos até nos momentos de discutir temas ligados ao seu exercício profissional.

        No Rio Grande do Sul, por exemplo, o CREA-RS irá apoiar o Encontro dos Técnicos agrícolas no dia 15 de junho, em Capivari do Sul-RS, mesmo ciente que estamos de saída do Conselho e que estas discussões ultrapassam o espaço onde os profissionais estão registrados.

        Assim, mas do que nunca é preciso lutar pela criação do Conselho Nacional e Regionais dos Técnicos Industrias e Agrícolas, CNTIA e CRTIAS respectivamente, pois só teremos condições plenas de exercer nossa profissão.

sexta-feira, 2 de junho de 2017

Eventos em Solânea-PB e Nazarezinho-PB



I Encontro Técnico de Avicultura, em Areia-PB

Com o objetivo de promover a integração entre estudantes dos cursos de ciências agrárias, produtores rurais, pesquisadores e profissionais do setor, para discutir e atualizar os principais aspectos técnicos da avicultura moderna, o Grupo de Estudos em Tecnologias Avícolas (GETA) realizará o I Encontro Técnico em Avicultura, na cidade de Areia (PB).

O GETA é vinculado ao Centro de Ciências Agrárias (CCA), campus II da UFPB, que sediará o evento nos dias 13 e 14 de setembro de 2017. O Encontro abordará temas práticos, vivenciados na avicultura de corte e de postura, com palestras sobre nutrição, manejo, sanidade e tecnologia em formulação de rações.

III Simpósio de Ciências e Tecnologia Agroalimentar, em Patos-PB

O III SIMTAGRO é um evento científico que abrange palestras na forma de conferências, mesas redondas, apresentação oral de trabalhos selecionados, exposição de trabalhos na forma de pôsteres e minicursos.
       Na sua terceira edição o evento será promovido pelos Programas de Pós-Graduação em Horticultura Tropical e pelo PPG em Sistemas Agroindustriais e terá como foco principal promover a integração entre alunos de graduação, de Pós-Graduação e pesquisadores dos diversos Programas de Pós-Graduação do Estado da Paraíba e Estados vizinhos.

sábado, 27 de maio de 2017

27 de maio: Dia do Profissional Liberal

A Confederação Nacional das Profissões Liberais (CNPL) parabeniza, neste 27 de maio, os mais de 15 milhões de profissionais liberais de 53 categorias. Com esforço e empreendedorismo, esses trabalhadores, contribuem para o desenvolvimento do Brasil, por meio da geração de emprego e renda. Estima-se que 12% da força de trabalho formal do país é composta por profissionais liberais atuando em todos os espectros da economia nacional.

Leia mais